Ir para conteúdo
Criar Novo...

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''que''.

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Comunidade

  • ⭐️ [EXCLUSIVO] ÁREA VIP
    • Download do Tema Olympiano
    • E-books VIPs
    • Cursos
    • Mini Cursos
    • Faça sua PRIMEIRA VENDA aqui!
    • Networking VIP
  • Crie sua conta para ter acesso!
    • Criar minha conta gratuitamente!
    • E-books Gerais
  • Área Olympiana
    • Anúncios Oficiais
    • [MEGA CURSO] DROPLIST
    • Produtos Olympianos
    • Dropshipping Geral
  • Central de Ajuda Olympiana
    • Precisando de ajuda? Clique aqui!
  • Estruturação e Configuração de Loja
    • Artigos e Vídeos
    • Bate Papo
  • Marketing e Vendas
    • Artigos e Vídeos
    • Bate Papo
  • Suporte e Experiência do Cliente
    • Artigos e Vídeos
    • Bate Papo
  • Jurídico e Contábil
    • Artigos e Vídeos
    • Bate Papo
  • Finanças e Administração
    • Artigos e Vídeos
    • Bate Papo
  • Área OFF!
    • Bate Papo Geral
    • Apresentação
    • Reportagens e Notícias
    • Sugestões e Depoimentos

Blogs

Não há resultados

Não há resultados

Categorias

  • Arquivos Olympianos - VIP
  • Arquivos Olympianos - Membros

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que contenham...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre


Data de Nascimento

Entre e

WhatsApp


Qual seu nível de conhecimento com Dropshipping?

Encontrado 5 registros

  1. BOMM DIAAA Olympianos, como vocês estão? Queremos conhecer melhor vocês, seus sonhos e motivações! Isso é mega importante para nos tornarmos mais próximos e trazermos mais conteúdos que guiem vocês para o caminho que querem seguir! Vamos trazer conteúdos bacanas e queremos ver vocês conquistando tudooo!!! Estamos juntos 🙂 Caso tenha algum comentário, sugestão ou alguma experiência legal, compartilha aqui com a gente!
  2. 5 mitos que impedem o sucesso dos empreendedores Abrir a própria empresa faz parte dos sonhos de milhões de brasileiros, mas mitos relacionados ao tema podem atrapalhar o caminho até o sucesso. Conheça os principais e veja como acelerar o crescimento da sua empresa! (Thinkstock/SIphotography) Se você é dono da própria empresa (ou sonha em começar um negócio), provavelmente já escutou a máxima de que “empreender no Brasil é difícil” ou que “é preciso ter muito dinheiro para começar”. Mas a verdade é que, ainda que o caminho entre ter uma ideia inovadora, conseguir colocá-la em prática e ver o negócio prosperar seja mesmo cheio de obstáculos, a maioria das dificuldades encontradas pelos empreendedores podem ser contornadas. O problema é que, muitas vezes, desmotivadas por estes e outros mitos que rondam o universo empreendedor, as pessoas acabam desistindo do sonho de começar o próprio negócio – e abrindo mão, portanto, de oportunidades que poderiam representar uma verdadeira virada de chave em suas vidas. Nesse cenário, entender o que é real e o que não passa de desinformação é essencial. Para ajudar nessa missão, elencamos cinco dos principais mitos sobre empreendedorismo que podem impedir o sucesso do seu negócio. Veja abaixo. 1. É preciso ter muito dinheiro para começar A ideia de que apenas pessoas ricas conseguem ter sucesso ao abrir uma empresa é um dos principais mitos relacionados ao empreendedorismo. Claro que quem tem o privilégio de começar essa jornada com bastante dinheiro em caixa tem uma vantagem, mas isso não é fator determinante para o sucesso de um negócio. Empreender e prosperar com pouco dinheiro também é plenamente possível. 2. Empreendedorismo é sinônimo de liberdade total A possibilidade de “ser o seu próprio chefe” é frequentemente citada como uma das maiores vantagens de empreender – mas é preciso tomar cuidado com a falsa impressão que ela passa. É que, ainda que o empreendedor de fato não tenha um superior cobrando metas mensais ou checando sua carga horária, a responsabilidade de ter um negócio independente é enorme e também exige disciplina. E o empreendedor deve, por exemplo, cumprir datas, prazos e acordos com sócios, investidores, clientes, fornecedores e funcionários. 3. Empreendedores devem ter formação acadêmica Muitas pessoas ainda acreditam que é preciso ser formado em administração de empresas ou áreas correlatas para empreender. Mas a verdade é que, ainda que a educação formal ajude, ela não está diretamente relacionada ao sucesso dos negócios. Prova disso é que alguns dos maiores empreendedores do mundo, como Bill Gates, Mark Zuckerberg e Steve Jobs não carregam um diploma universitário no currículo. Por outro lado, aprender sobre temas como gestão de negócios e pessoas, marketing, contabilidade e logística com certeza faz a diferença no dia a dia de um negócio. Assim, quem sente que ainda precisa se aprofundar nessas temáticas, mas não tem tempo ou dinheiro para cursar uma faculdade, pode optar por cursos livres relacionados ao universo do empreendedorismo, ou até mesmo por conteúdos gratuitos na internet. 4. O processo de abertura de uma empresa é muito demorado A ideia de que o processo de abertura de uma empresa é complicado e demorado demais pode levar muitas pessoas a desistirem do sonho de abrir o próprio negócio. Mas a verdade é que, embora o Brasil já tenha sido considerado um dos países onde mais se demora para abrir uma empresa, hoje o processo está cada vez mais rápido. De acordo com o boletim Mapa das Empresas do 3º quadrimestre de 2021, apresentado pelo Ministério da Economia, o tempo médio para abertura de empresas no país é de 2 dias, o que representa uma redução de 21,3% (o equivalente a 13 horas) em relação ao final de 2020. 5. Os resultados demoram muito para aparecer Não dá para dizer que essa seja uma verdade absoluta, mas também não podemos ignorar que, enquanto alguns negócios rentabilizam rapidamente, outros podem demorar mais para prosperar. Não à toa, dizem por aí que persistência e paciência são algumas das principais características do empreendedor. O problema é que, muitas vezes, a frustração por não enxergar esse crescimento no tempo esperado leva os empreendedores a desistirem de seus negócios – quando, na verdade, uma reavaliação do plano de negócios ou a implementação de novas metodologias já resolveria o problema. Créditos Isabel Rocha da Exame Artigo adaptado
  3. Olá, Olympianos, como vocês tão? Hoje vamos conversar um pouco aqui neste tópico sobre como podemos aplicar o instinto humano no Marketing. Basicamente, iremos transformar os impulsos mais primitivos, que todo ser humano tem de forma interna, em uma força gigantesca de consumo. A teoria do Cérebro Trino Eu não estou aqui pra entrar nesse mérito da medicina e explorar, como um cientista, a neurociência. Vou ser direto e explicar brevemente o que é essa teoria. Sempre focando na parte que iremos usar para aumentar nossas conversões, afinal, esse é o nosso objetivo final. Na década de 1970, o renomeado neurocientista Paul MacLean desenvolveu a teoria do Cérebro Trino. Para ele, nós, humanos, temos o cérebro divido em 3 unidades com funcionalidades diferentes, sendo que cada uma delas representaria um extrato evolutivo do Sistema Nervoso dos Vertebrados. Uai, mas como assim? Não tem mistério. O nosso cérebro teria uma região mais voltada para decisões racionais e lógicas, uma para agir emocionalmente e, por fim, a reptiliana que seria responsável pelas ações instintivas. Imagem retirada de melhoreseunegocio A parte cerebral que remete aos mamíferos e o neocórtex são assuntos para os próximos capítulos. Vou adentrar aqui no tão falado e usado no marketing contemporâneo: o cérebro reptiliano. Por que explorar os instintos funciona tão bem? Essa é a primeira pergunta que você deve fazer para si mesmo. "Tão tá, eu entendi que é importante explorar os instintos do humano nas minhas copys, mas pra que? Qual a força que isso realmente tem?". Então vou te ilustrar de uma forma mais lúdica, pra ficar mais fácil de visualizar. Se a gente abrir a televisão agora, ir pro National Geographic e assistir qualquer programa animal, como a "Natureza Selvagem", a gente percebe que todos os animais são movidos por duas razões existenciais: comer e reproduzir. Se eles conseguem isso e sobreviver, estão satisfeitos. Então, por que o ser humano seria tão diferente? A resposta está aí, ele não é. A diferença da gente pra eles é simples: nós conseguimos controlar muito mais os nossos instintos que eles, afinal, somos seres racionais por definição: homo sapiens sapiens (a gente sabe que sabe). É exatamente aí que mora essa força GIGANTESCA que é a neurociência aplicada no Marketing. Sabendo que todos nós temos os instintos dormindo dentro da gente, você já imaginou a força que eles podem ter quando forem despertados? Todos nós queremos acordar, sair de casa, ir trabalhar e saber que, quando a gente voltar, a nossa casa vai estar lá intacta e com comida na geladeira. Mas por que isso conforta tanto? Pois remete ao nosso instinto. Remete à segurança, ao estado de controle, à liberdade. Outro exemplo: por que a gente quer ser o melhor do nosso ciclo social? Mais uma vez, volte à natureza. A gente quer isso pois na natureza funciona da seguinte forma: o melhor e mais forte se sobressai na comunidade e consegue um melhor sucesso reprodutivo, além de respeito. Tudo tem uma explicação. Quais são os gatilhos do Cérebro Reptiliano? Eu vou estar listar aqui pra vocês os 7 principais gatilhos que podemos explorar para ativar, de forma intensa e provocativa, o lado instintivo do cérebro humano. Ah, e vale a pena reforçar, eles não precisam estar de forma explicita e na cara do seu consumidor. Se eles estiverem velados e diluídos em seu texto ou imagem, você verá o resultado nos números de sua conversão! Poder: Nós queremos ser o "rei da tribo", como se diz no mundo animal. Entre mandar e ser mandado, queremos mandar. Segurança: Nós queremos acordar, sair e saber que tudo vai estar em ordem. Controle: Nós não queremos depender de uma situação, mas estar por cima dela. Aceitação social: Nós sonhamos em ser visto como o melhor, como uma referência na sociedade. Liberdade: Nós queremos ser livre para tomadas de decisões e para locomover, jamais ser privado disso. Prazer: Nós amamos o prazer, desejamos ele, o que pode ser observado na Libido explicada por Freud. Descoberta: Nós desejamos saber coisas inéditas, segredos. Isso nos faz ser especial, único. Agora que você já teve uma ideia melhor e como funciona o cérebro reptiliano nosso, que tal aplicar? De nada adianta saber a teoria, se você não colocá-la na prática para buscar ser sempre o mais persuasivo possível. Aplique e me fale os resultados, pode ser? Caso tenha alguma dúvida, comenta aqui pra gente ir conversando sobre.
  4. Versão 1.0.0

    237 downloads

    10 Páginas de vendas VENCEDORAS dos que MAIS VENDEM? É isso mesmo! Neste e-book você encontra 10 páginas prontas para você subir na sua loja online e começar a vender, sem se preocupar com nada da página de venda. Todos os produtos contidos nele foram validados e foram best-sellers em 2021. O que você está esperando para baixar e colocá-los em sua loja? Clique em "Baixar Arquivo" e aproveite!
  5. Descubra as 4 MÉTRICAS que VOCÊ PRECISA SABER sobre E-MAIL MARKETING Hoje vou estar mostrando pra você as 4 métricas que é uma obrigação saber para todas pessoas que mexem com Marketing. Ainda mais se você for um copywriter! São elas: taxa de entrega, taxa de abertura, taxa de cliques e taxa de cliques por abertura. Serei breve e direto quanto ás informações. Qualquer dúvida ou complemento para o conteúdo, postem nos comentários que vamos adaptando aqui a postagem, combinado? Então bora. Métrica #1 - Taxa de Entrega Essa métrica é consiste, basicamente, na porcentagem de pessoas que efetivamente receberam o nosso e-mail. Ou seja, se escolhemos 100 pessoas para receber a mensagem, mas apenas 90 receberam, temos que a nossa taxa de entrega é 90%. A causa que essas pessoas não receberam são diversas, podendo ir desde um e-mail informado incorreto (ex: fulano@gemail.com), quanto o servidor estar fora do ar ou a caixa de entrada lotada. Essa métrica é importante para que você tire essas pessoas da sua base de leads e trabalhe apenas com quem realmente está apta a receber suas mensagens. Para se ter como base, uma taxa de entrega considerada ideal é por volta de 97%. Portanto, busque otimizar isso o máximo que você puder. Métrica #2 - Taxa de Abertura Vamos lá. A taxa de abertura é a razão das pessoas que realmente abriram o seu e-mail para o total de pessoas que o receberam. Ilustrando, temos: se 100 pessoas receberam o seu e-mail, mas somente 30 abriram, a sua taxa de abertura é de 30%. Mas por que isso é importante? Se as pessoas não abriram o seu e-mail, alguma coisa tem. Isso é um fato. Então, não perca tempo e comece a fazer alterações buscando aumentar essa taxa, como: Alteração no seu assunto: busque uma headline matadora e que dê para o seu lead o que ele realmente quer; Alteração no pré-cabeçalho: muita gente mal explora isso, logo, se você usar você já estará em vantagem; Uso de emoji: teste, às vezes o seu público responde melhor caso tenha um emoji no assunto ou no pré-cabeçalho; Uso de variáveis: explore itens como o nome da pessoa, o produto, alguma variável mais específica; Entre outros. Eu te afirmo que, para ter bons resultados no E-mail Marketing, você deve otimizar a sua Taxa de Abertura o quanto antes. Uma taxa considerada "boa" é por volta de 30%. Isso porém depende bastante do qual será o objetivo do seu e-mail e o objetivo dele (transacional, relacional ou promocional). Métrica #3 - Taxa de Cliques Como o próprio nome já diz, ela é a razão entre o número de cliques pelo total de e-mails que foram entregues. É uma métrica importante, apesar de, ao meu ver, estar abaixo da métrica que vou contar para você no item #4. Essa métrica é bem relevante, e deve ser olhada sim. Mesmo que seja um pouco abstrata, já que o espaço amostral é muito amplo, é uma das métricas mais usada no meio do E-mail Marketing. Métrica #4 - Taxa de Cliques por Abertura (CTOR) Essa métrica, conhecida como CTOR, é sem dúvida uma das mais relevantes. Ela consiste no número de cliques dividido pelos e-mail que realmente foram abertos. Ou seja, imagine o seguinte cenário: você mandou 100 e-mail, apenas 30 foram abertos e você obteve 5 cliques. Logo, temos que o seu CTOR é 5/30 ou 16,66%. Seja fiel nessa métrica e faça testes A/B com diferentes CTAs (call to action ou chamada para ação). Para quem não sabe o que é isso, são os botões do seu e-mail, por exemplo: se você usou o texto "clique aqui" no seu botão, mude para testar. Tente colocar algum benefício, como: "Eu quero essa promoção" e envie para ver os resultados. Seguem alguns pontos para se considerar: Trabalhe o CTA, como eu disse acima; Busque deixar o seu texto o mais persuasivo possível, com vários gatilhos mentais; Mostre para seu lead aonde ele deve clicar, guie-o durante o e-mail; Teste colocar o botão na primeira dobra (primeira parte do e-mail);Entregue conteúdo de relevância para o seu lead para que ele queira clicar no botão (esse é o MAIS IMPORTANTE)! Esses testes vão te fazer aumentar com certeza a sua quantidade de cliques e sua taxa de conversão. Dúvidas? Teste e me conte, eu falo isso por experiência própria e porque eu trabalho com e-mail marketing diariamente. Tudo que falei aqui, foi testado e valido por mim previamente. Esperando que esse conteúdo tenha sido útil para vocês. Gostaram? Me conta aqui nos comentários! Crédito: Apolo Santos

Conheça o E-com 360º 

×
×
  • Criar Novo...

Escreva o que você está procurando e pressione enter ou clique no ícone de pesquisa para iniciar sua pesquisa